segunda-feira, 30/04/2018

Gucci saiu do modo padronizado e monótono com a colaboração de Ignasi Monreal


“Utopian Fantasy” intitula a nova campanha da Gucci que, mais do que um cartão de visita para a estação quente, é uma obra de arte para apresentar uma igualmente criativa coleção de primavera/verão 2018. É por isso que a série de imagens que verá circulando de forma viral pelas redes sociais e páginas de revistas não foi feita com uma máquina, mas com um traço. O artista por trás dele é Ignasi Monreal, o espanhol que é também o protagonista do vídeo acima e cujo briefing foi criar um universo Gucci surrealista, dobrando as regras da estética e do tradicional para romper com o estabelecido.

 

 

As imagens evocam uma “fantasia utópica” que se foca no trio de elementos terra, mar e céu, explica a Gucci, num trabalho que convida a entrar num mundo mágico e sensual criado pela arte digital de Ignasi. Com especial foco nos detalhes, o artista traz à vida criaturas incomuns que habitam a sua imaginação e, agora, também a nossa.

Um ato artístico que é um ato de resistência, explica a marca, num mote que ecoa por toda a coleção. A seleção de propostas de Alessandro Michele para a Gucci personifica este exercício de resistência. Cada peça encerra uma componente intelectual que resiste à padronização numa espécie de reivindicação do direito de ser diferente.

 

 

Não é, por isso, de estranhar, que Monreal tenha sido o nome escolhido para pincelar uma sequência de imagens este mantra da casa italiana: numa versão ilustrada de quadros clássicos com um toque contemporâneo, a marca apela por desacelerar, a olhar para dentro, a descobrir o nosso eu mais profundo e a traduzi-lo num guarda-roupa que se quer para sempre, e não apenas até ao fim da estação. O objetivo? Viver o mundo fora do padronizado e da monotonia. O resultado? Missão cumprida.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d blogueiros gostam disto: