segunda-feira, 05/03/2018

Vai para Paris? Então conheça os hotspot onde Coco Chanel frequentava na cidade

 

Chanel em seu icônico quarto no Ritz // Créditos: Reprodução

 

Coco Chanel pode não ter nascido em Paris, mas seu nome foi conectado para sempre a cidade. Pouco antes da década de 1920, ela ocupava residência elegante na Rue Cambon, rua essa que ainda é conhecida no mundo todo como a casa de Chanel – conhecida por ficar fechada durante a semana de moda e causando barulho entre os fashionistas de plantão. Mas ela também frequentou outros hotspots em Paris ao longo dos anos, como cafeterias, restaurantes e até mesmo clubs. Nós seguimos os passos da Mademoiselle pela Cidade das Luzes e separamos essas dicas. Confira!

 

O RITZ

Pode-se argumentar que o relacionamento de Chanel com Paris é mais sinônimo de seu amor pelo Ritz, onde morou por 34 anos. Localizado na maravilhosa Place Vendôme, a suíte do segundo andar é decorada para refletir sua estética interior original: leões dourados, telas, muitos espelhos e um esquema de cores preto e branco. Durante a Semana da Moda de Paris, as tarifas para o quarto podem chegar até € 28 mil (algo em torno dos R$ 112 mil). Se você realmente quer se divertir em tudo, o hotel também oferece uma variedade de tratamentos faciais Chanel e massagens usando os produtos de marca.

 

 

RUE CAMBON

Se você quiser seguir os passos do designer, vá ao lado da loja de varejo da Chanel na 31 Rue Cambon. No ano que vem, o endereço fará 100 anos de história da Chanel, dado que a Chanel instalou sua casa de alta costura no prédio em 1918. Hoje, os escritórios de alta costura ainda estão no mesmo lugar. Antes de se mudar para o Ritz, Chanel morava no espaço acima do piso térreo e organizava desfiles de moda e encontros centrados em torno de uma escadaria espelhada muito icônica.

Em 1935, havia cinco edifícios Chanel na Rue Cambon – tornando-o um destino essencial para qualquer fã da marca. Sua casa original (que permanece mobiliada com suas próprias peças) pode não ser acessível ao público, mas você pode ter uma sensação da magia que aconteceu lá visitando a boutique.

A Chanel foi tão pioneira na moda quanto na fragrância. Em 1921, conseguiu formular o cheiro icônico Chanel No. 5, uma mistura sofisticada que inclui jasmim, lírio do vale, raiz da íris e rosa. Seguiram-se mais alguns aromas da assinatura, incluindo o lançamento de Gardénia em 1925. Para apreciar os mesmos aromas florais poderosos que Chanel viveu, visite o Marché aux Fleurs, que é um dos mais antigos e maiores mercados florais de Paris, aberto todos os dias. Está em operação desde meados dos anos 1800, e teria prosperado durante a época de Chanel em Paris.


ANGELINA

Angelina era um dos cafés que Chanel frequentava quase todos os dias. Visite a localização na Rue de Rivoli, que teria estado a poucos passos de onde ela morava e trabalhava. Fundada em 1903, a moldagem branca interior escultural, espelhos copiosos e teto com pé direito – é tão luxuoso quanto os ricos copos de chocolate quente e doces deliciosos, cultuáveis ​​e “instagramaveis”.


 
LE GRAND VEFOUR

Quando a noite se aproxima, faça uma parada no Le Grand Véfour, onde o designer sempre jantava, sob as arcadas do Palais Royal. Impressionantemente da “belle époque”, o restaurante traz mais de 200 anos de história cultural, política e social.

 

LE THÉÂTRE DES CHAMPS-ELYSÉES

Depois, vá ao Théâtre des Champs-Élysées para ver um show ou uma apresentação. Chanel criou os figurinos para Le Train Bleu, um show de balé que estreou no local. O espaço hospeda tudo, desde recitais musicais até óperas em grande escala ao longo do ano.


LE GRAND PALAIS

Se você está procurando obter mais um preenchimento de cultura, um Chanel moderno – digamos assim – também pode apreciar o Grand Palais, que se tornou um local tradicional para as coleções bianuais de “prêt-à-porter” do rótulo (excluindo os lugares distantes e glamourosos para as coleções Cruise da marca). Quando não é o show mais procurado da Paris Fashion Week, o lindo espaço em janelas de vidro permite luz natural sobre exposições especiais que vão desde a fotografia até as artes plásticas. Os últimos são centrados no trabalho de Irving Penn e Paul Gauguin.

 

7L


Indubitavelmente, Chanel era uma grande amante das artes. De fato, mesmo seu quarto no Ritz está decorado em ilustrações e fotografias desde o momento em que ela passou por lá. Como tal, não é nenhuma surpresa que ela provavelmente admira a livraria artística, 7L, criada por Karl Lagerfeld, que agora supervisiona a marca. Espere por encontrar fotos históricas da moda, álbuns de fotos arquitetônicas e até mesmo livros de receitas. Uma inspiração infinita para todos.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d blogueiros gostam disto: