quinta-feira, 24/05/2018

Sem spoilers! Essa é a nossa crítica de “Han Solo: uma história Star Wars”

 

O ator Alden Ehrenreich interpreta Han Solo mais jovem // Créditos: Reprodução

 

Dúvidas, muitas dúvidas quanto ao produto final que Ron Howard iria entregar. Muitos problemas na produção obscureceram o panorama do novo filme de Guerra nas Estrelas, mas a queridinha de cabelos ruivos de Hollywood soube aproveitar ao máximo o material, proporcionando uma aventura divertida, cheia de ação e momentos incríveis. Acontece que, os espectadores vão ver um filme com baixas expectativas e saem da sala querendo ver mais? Com um sorriso de orelha a orelha? Isso aconteceu no filme “Han Solo: A Star Wars Story”.

Nós temos um Alden Ehrenreich, que apesar de todas as dúvidas e rumores sobre seu desempenho acaba entregando um Han Solo para combinar. Chewbacca, o wookie favorito de todos, é soberbo como sempre, e o primeiro encontro deste par é tão épico quanto deveria ser. Eles destacam suas interações divertidas, a química entre eles – e acredite, você vai querer ter um Wookie em sua vida.

 

 

Donald Glover é incrível como o contrabandista dando vida a Lando Calrissian, mas já sabíamos que, antes de ver a fita, era intuída. Glover é um verdadeiro camaleão. E, além disso, acrescenta sabor ao universo de Star Wars, como um personagem pansexual não declarado.

Sem dúvida, as palmas das mãos são tomadas por Qi’ra, interpretada pela bela Emilia Clarke, cujo personagem tem o melhor desenvolvimento durante os 135 minutos de filmagens. Queremos ver mais do jovem Corelliana, o interesse romântico do jovem Solo.

 

 

Sim, é óbvio que o famoso Falcão não poderia ficar de fora dessa. Só que dessa vez, vamos descobrir como a nave foi roubada de Lando (Donald Glover) e especialmente como o contrabandista conseguiu sua travessia do passe Kessel na velocidade 12 em seco ou uma velocidade 39.168 anos-luz. Um feito que ele ostenta no episódio “4 Uma Nova Esperança”, quando Ben Kenobi e Luke Skywalker vêm encontrá-lo para fugir de Tatooine.

 

 

Atento ao terceiro ato de Han Solo, e em particular a um momento que será o deleite dos fãs da saga intergaláctica, eu ainda não consigo acreditar. Tão incrível quanto parece Han Solo: A Star Wars Story define a base para algo muito maior, algo que ninguém esperava, e é aí que está o seu encanto: em surpresas.

 

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d blogueiros gostam disto: