terça-feira, 02/07/2019

Cinco obras de Banksy para ver na exposição dedicada ao artista, em Lisboa

Banksy é um gênio ou é um vândalo? Para tirar as suas conclusões sobre o artista cuja identidade permanece uma incógnita o melhor que tem a fazer é visitar a exposição que a Cordoaria Nacional, em Lisboa, aberta desde o mês passado. Banksy: Genius or Vandal? é uma mostra itinerante que já passou por três cidades europeias (Moscovo, São Petersburgo e Madrid) e que agora chega à capital portuguesa, trazendo consigo mais de 70 obras — da serigrafia à escultura, da instalação à fotografia — assinadas por um dos artistas mais influentes, e também um dos mais misteriosos, dos últimos anos.

Nesta que é a maior exposição dedicada a Banksy em território internacional, o curador Alexander Nachkebiya procurou “mostrar a profundidade do talento” deste artista, uma pessoa a quem não se conhece nem o nome nem o rosto, mas cujo trabalho, satírico e provocador, é facilmente reconhecível. “Queremos que cada visitante desta exposição seja capaz de resolver quem realmente é Banksy: um gênio ou um hooligan? Um artista ou um empreendedor? Um provocador ou um rebelde?”, questionou Nachkebiya, em comunicado de imprensa.

À semelhança de outras exposições centradas no trabalho do artista, esta Banksy: Genius or Vandal? foi erguida sem a autorização de Banksy e é classificada como um fake show no site oficial do artista. “Os membros do público devem estar cientes de que tem havido uma vaga recente de exposições Bansky, nenhuma das quais consensuais. Foram inteiramente organizadas sem o conhecimento ou envolvimento do artista. Por favor tratem-nas como tal”, lê-se. No entanto, as dezenas de obras que estão reunidas nesta Banksy: Genius or Vandal? estão longe de serem fake: tratam-se efetivamente de peças originais que foram cedidas por vários colecionadores privados internacionais.

Napalm

Captada em 1972 pelo fotógrafo vietnamita americano Nick Ut, Os Horrores da Guerra foi considerada pela revista Time uma das 100 fotografias mais influentes de todos os tempos. Foi a partir deste poderoso retrato da guerra no Vietname que nasceu esta obra de Banksy.

No Ball Games

Estávamos em 2009 quando Banksy pintou esta obra nas paredes de uma loja do norte de Londres, mas o trabalho foi entretanto removido das ruas e vendido em 2013 pelo grupo Sincura. “Repugnante”, reagiu Banksy, perante do sucedido.

 Love is in the Air

Também conhecida pelo nome Rage the Flower Thrower, esta é uma das obras mais conhecidas de Banksy. Na imagem, um homem prepara-se para atirar um ramo de flores, qual arma poderosa na resolução de conflitos.

Police Kids

Em 2005, Banksy criou a série de gravuras Police Kids e vestiu duas crianças com coletes à prova de bala. Uma crítica aos pais superprotetores ou um comentário sobre como a liberdade das pessoas está a ser condicionada?

Laugh Now

“Ri agora, mas um dias estaremos no comando”, lê-se neste mural pintado em 2002 a pedido da gerência de um bar noturno de Brighton. Um ano depois, Banksy adaptou esta obra para o papel e colocou à venda 750 prints — 150 dos quais assinados. Os macacos são figuras recorrentes nos trabalhos do artista desde então.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d blogueiros gostam disto: